15
Set 09
publicado por Marco Moreyra, às 14:39link do post | comentar

Embora retenha na memória alguns sketches hilariantes dos quarteto humorístico Gato Fedorento, não posso garantir que seja o meu tipo de humor preferido. Talvez por isso, o 1.º episódio do seu novo programa me tenha passado despercebido apesar dos constantes anúncios nas redes sociais da web, para além dos enormes placardes em estilo político que ‘Os Gatos’ decidiram caricaturar utilizando o fundo de imagem dos dois principais partidos.

 

 

 

Algo que poderá também ter pesado neste meu esquecimento é a figura do convidado estreante do «Esmiuça os Sufrágios». Apesar de não desprezar Sócrates fora do fato de Primeiro Ministro, confesso que não lhe reservo grande margem para o humor. Fiquei particularmente constrangido quando este tentou fazer uma piada num programa da SIC que mostrava os políticos numa dinâmica mais informal, tentando retractar o seu dia-a-dia. Enquanto desdenhou o humor brejeiro, tentou algo requintado e saiu asneira ao ponto de me fazer corar. De todos os mostraram “o outro lado”, Sócrates pareceu-me, ele próprio, o mais constrangido, talvez por não se conseguir libertar da espécie de limbo que criou quando recentemente passou de arrogante a humilde. Deu-me a sensação que já não consegue ser ele próprio atrás das câmaras.

 

Já neste programa d’Os Gatos, ao que parece, pela reacção da opinião pública, Sócrates ter-se-á saído muito bem, apesar de não se ter preparado – segundo ele. Já Ricardo Araújo Pereira não conseguiu fazer o boneco de Jon Stewart que possivelmente pretendia recriar e demonstrou também algumas fazes de constrangimento, nas respostas às suas piadas por parte do Primeiro Ministro.

 

Agora, para constrangir “a sério”… giro, giro, era organizar uma pequena entrevista com esse fenómeno de humor luso de seu nome Bruno Aleixo: Entre um “então, olha aqui este jogo… qu’eu inventei” e um “iiii ca burro”, certamente eu não faltaria a tal chamamento televisivo. Sem constrangimentos… 


03
Set 09
publicado por João Paulo Castanheira, às 23:48link do post | comentar

 

 

A obsessão do Partido Socialista com a TVI é doentia e ameaça arrastar Portugal para a lama.

 

Primeiro, tentaram sentar-se em cima da estação via Pina Moura e a coisa não correu bem.

 

Depois, ensaiaram apoderar-se do canal via Portugal Telecom e a coisa correu bastante mal.

 

Agora, decidem decapitar a direcção de informação via Prisa e tudo parece estar a correr ainda pior.

 

Pergunta-se: mas por que raio insiste o Partido Socialista em calar a TVI, quando estes sucessivos episódios parecem representar estrondosos tiros no pé?

 

Pergunta-se: mas a que se deve semelhante desespero e falta de vergonha?

 

Mais do que nojenta e fascizante, esta obsessão é profundamente estúpida, porque faz cair sobre o PS o odioso de aproximar um país europeu das Venezuelas deste mundo.

 

Pois eu acho que só algo de realmente importante pode manter a rapaziada nesta sanha persecutória: naturalmente, as revelações que a TVI se preparava para fazer. No caso Freeport e não só.

 

Há demasiado lixo debaixo deste tapete...
 


pesquisar neste blog
 
Image and video hosting by TinyPic
Contacto

brigadadestra@sapo.pt

arquivos
2009

subscrever feeds
Twitter
Twitter
Facebook
Facebook
Flickr
Flickr
Sapo Videos
Sapo Videos
Siga este blog...